terça-feira, 24 de novembro de 2009

A Dipladénia (Mandevilla splendens)

A Dipladénia (Mandevilla splendens)


Planta tóxica

A dipladênia é uma trepadeira arbustiva, semilenhosa, conhecida internacionalmente devido às suas bonitas flores.

Apesar de ser descrita como sendo de folha perene, perde uma grande quantidade de folhas anualmente, no inverno.

As folhas são descritas como coriáceas, elípticas a lanceoladas, com nervuras bem marcadas e de coloração verde-escura.

A floração é mais intensa na primavera e verão, mas a planta mantem-se florida até quase o final do Outuno..

Nas inflorescências, em pequenos rácemos, despontam as flores em forma de trombeta. Algumas variedades têm flores enormes que podem atingir 10 cm de diâmetro. As flores da dipladênia geralmente são simples e de coloração rósea com o centro amarelo, mas podem ser dobradas e totalmente rosas, vermelhas ou brancas.

A dipladénia é uma planta de porte médio, podendo alcançar cerca de 2 a 3 metros de altura. Também pode ser cultivada em vasos grandes e jardineiras, desde que lhe seja oferecido suporte.

As flores têm um perfume peculiar.

A seiva leitosa da dipladênia é tóxica e pode provocar queimaduras na pele e mucosas.

Deve ser cultivada sob sol pleno ou meia-sombra, em solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado moderadamente. Diz-se que não tolera encharcamento, frio intenso ou geadas, mas a minha dipladénia está na rua, sujeita a todos os rigores do clima... Pode ser cultivada no litoral, tolerando a salinidade do solo. Fertilizações mensais, ricas em fósforo, nos meses quentes estimula intensas florações. Tolera podas, que devem ser efetuadas preferencialmente no inverno.

APELO!
Atenção às campanhas mais recentes:
-- Petição Para Valoração da Abstenção
-- Assine a petição AQUI, ou AQUI ou AQUI, ou AQUI, ou AQUI
-- Denúncia de Agressão Policial
-- Petição contra os Crimes no Canil Municipal de Lisboa

Sem comentários: